Principal
   Notícias Gerais
   Esportes
   Informática
   Variedades
   Eventos
   Educação
   Guia Astral
   Agenda
   Cobertura de Eventos
   Nossa Cidade
   Mural de Recados
   Utilitários
   Contate-nos
   Concursos
 
 
 
 
 
 Login:
 Senha:
 
Amor na Internet pode ser ilusão
13/10/07 às 09:41 h


Substituindo o correio elegante, o footing nas praças, as seções sentimentais nas revistas e jornais, concorrendo com os shoppings, clubes, praias e danceterias, aí está a Internet, que reina absoluta nas possibilidades de encontros afetivos e novos conhecimentos.

Um número quase incrível de pessoas acredita, com absoluta certeza, que irá encontrar ali o par romântico ideal, que fará toda sua felicidade. Algumas vezes realmente acontece. Porém, e infelizmente, muitas vezes alguma coisa falha e o romance se desfaz, às vezes até com sofrimento para ambas as partes.

Mas, por que as relações que se originam num veículo tão poderoso não dão certo? Afirmo isso, pois já ouvi a mesma história mais de uma centena de vezes: “estava tudo certo, iríamos casar, eu ia conhecer a pessoa no seu país ou na sua cidade, tudo resolvido e combinado. Sem avisar, a criatura sumiu sem deixar vestígio, sem um recado, sem um adeus.”

As pessoas, de maneira geral, têm uma dura realidade, com compromissos de todas as naturezas, responsabilidades e dificuldades diversas. A Internet funciona como uma alternativa de fuga e assim dá a impressão de poder alterar os hábitos de vida daqueles que ali navegam.

Mas, embora não se aceite essa verdade facilmente, qualquer rotina de vida apresenta grandes resistências em ser rompida ou manipulada. Isso porque a rede e o uso de toda sua virtualidade dão uma falsa impressão de nova realidade, de liberdade que depois não pode ser desenvolvida, pois é quase impossível encaixar uma situação estranha ou irregular no contexto de uma existência anteriormente formulada.

Assim, muitas pessoas se entusiasmam, resolvem encarar novas situações e aventuras e depois acabam voltando atrás. O que a Internet tem de bom é que sempre se pode tentar mais uma vez.

 

Fonte:: Terra Esotérica!


 + Matérias Relacionadas:

Marizete
Furbino
Prof. Administração e Parceira.