Principal
   Notícias Gerais
   Esportes
   Informática
   Variedades
   Eventos
   Educação
   Guia Astral
   Agenda
   Cobertura de Eventos
   Nossa Cidade
   Mural de Recados
   Utilitários
   Contate-nos
   Concursos
 
 
 
 
 
 Login:
 Senha:
 
Flamengo recusa novas partidas na altitude
16/02/07 às 08:35 h


Rio de Janeiro (RJ) - Após encarar de perto 4 mil metros de altitude, no empate em 2 a 2 com o Real Potosí na Bolívia, na estréia da Copa Libertadores, o Flamengo anunciou que não atuará mais em estádios na altitude.

Em comunicado oficial divulgado pelo clube em seu site oficial, o Rubro-negro antecipa que não entrará em campo em cidades cuja altura é superior à recomendada pela medicina esportiva.

Pregando a “igualdade entre os oponentes”, o presidente do clube carioca, Márcio Braga, promete enviar uma carta às entidades máximas do futebol (CBF, Conmebol e Fifa) explicando a situação e impondo a condição. “O Flamengo é responsável e não vai mais compactuar com jogos em condições desumanas como o desta quarta”, diz a carta.

Confira a carta publicada pelo Flamengo em seu site oficial:

1. Ontem à noite, Flamengo arrancou um empate heróico contra o Real Potosí, em condições anti-desportivas e desumanas.

2. A presidência do clube faz questão de homenagear os profissionais que, em jornada épica, encarnaram o lema rubro-negro, segundo o qual, nossa glória é lutar.

3. E deseja também enaltecer a presença de uma torcida do Flamengo em Sucre, dado marcante da grandeza do clube e do tamanho da nação rubro-negra.

4. Mas, torna público que vai comunicar oficialmente à CBF, à Confederação Sul-Americana e à Fifa que, doravante, não comparecerá a partidas em altitude superior aos limites recomendados pela medicina esportiva.

5. Por definição, o campo de jogo é um espaço que deve oferecer igualdade de condições aos oponentes que buscam a conquista esportiva, mediante esforço que engrandece a condição humana, contribuindo para a educação e a saúde.

6. Primeiramente, o campo de jogo, em altitude não recomendada pela medicina, não oferece igualdade de condições aos oponentes, ferindo o princípio da desportividade, o “fair-play”.

7. Por fim, a prática esportiva, em condições não recomendadas pela medicina, faz do esforço físico um ato bárbaro, degrada a condição humana e coloca em risco a vida dos atletas. Não proibir jogos nessas condições é o mesmo que ser conivente com a dopagem.

8. O Flamengo, em nome do esporte, denuncia a responsabilidade que as entidades de administração, em especial a Fifa, têm com a preservação da prática esportiva em condições humanas e com a vida dos atletas e não jogará mais em altitude não recomendada pela medicina. O Flamengo é responsável.

9. Flamengo, Flamengo, tua glória é lutar.


 + Matérias Relacionadas:

Wilson
Mendonça
Repórter e
Redator