Principal
   Notícias Gerais
   Esportes
   Informática
   Variedades
   Eventos
   Educação
   Guia Astral
   Agenda
   Cobertura de Eventos
   Nossa Cidade
   Mural de Recados
   Utilitários
   Contate-nos
   Concursos
 
 
 
 
 
 Login:
 Senha:
 
Memória portátil: especialistas explicam diferenças entre pen drive, cartão flash e HDD
14/04/08 às 15:56 h


No telefone celular recém-adquirido, o usuário descobre uma pequena "portinha" e, lá dentro, encontra um cartão de memória tão pequeno - microSD - que mais parece um acessório para amantes de miniatura. Este mesmo cartão, em uma versão um pouco maior do que o chip do telefone celular, ajuda a gravar mais fotos da festa de família ou da viagem de férias na câmera digital, sem que o usuário de preocupe em descarregar o todo o acervo no PC. E na hora de salvar e transportar todos estes arquivos digitais, gerados pelo laptop ou câmera digital, não faltam opções de pen drives ou mesmo de discos rígidos portáteis (HDDs sem fio), estes últimos capazes de armazenar até 160 GB - espaço equivalente ao dobro da memória de um microcomputador popular.

Para ajudar os usuários a entender um pouco desta oferta cada vez maior de memórias "de bolso", executivos e especialistas de fabricantes e revendedores de pen drives, cartões flash e HDDs sem fio nacionais e importados aceitaram o desafio de esclarecer algumas das questões mais comuns dos leitores do Globo Online. Participaram desta edição do TIRE SUAS DÚVIDAS: Janor Junior, gerente de e-commerce da Superkit; Elaine Silva, gerente de produtos da Sosecal, distribuidora de meios de armazenamento; José Alberto, especialista da Kingston Brasil; e Julio Esteves, gerente de marketing da Controle Net, que representa no Brasil, entre outras marcas, a Iomega. Durante quase duas semanas, os especialistas explicaram desde as diferenças básicas entre estes acessórios até as vantagens e desvantagens de cada um, passando por dicas para aproveitar melhor os espaços em disco e seu tempo de vida útil. 

Confira abaixo alguns dos temas mais abordados:

Diferenças - Os pen drives (também chamados de memory Flash USB ou USB flashdisk) são os mais comuns acessórios portáteis de armazenagem e transporte de dados. Além de diversos formatos e da possibilidade de unirem suas funções a players digitais, estes modelos são capazes de guardar de 256kb a 8MB. Os pen drives são discos de armazenagem usados diretamente nos micros através de uma porta USB, ou seja, basta conectar o pen drive em uma destas portas para acessar seu conteúdo e gravar dados para serem transportados. Outro acessório de memória portátil com inúmeras variedades é o cartão de memória, nos modelos: flash MS (Memory Stick), da Sony; CF (CompactFlash); MD (Micro Drive), da IBM; SM (SmartMedia Card); MMC (Multimedia Card); e SD (Secure Disk). Existem modelos de diversos tamanhos compatíveis com equipamentos como máquinas digitais, impressoras, celulares e smartphones, entre outros. Um dos cartões mais conhecidos é o secure digital ou SD, que pode ser usado em impressoras, câmeras fotográficas, palms e celulares, e que gerou derivados como o mini SD (entre 20 e 25 mm de comprimento) e o micro SD (entre 11 e 15 mm), muito usados em celulares. Há alguns anos era comum que cada câmera ou equipamento, como MP3 e GPS, utilizasse um tipo especifico de cartão de memória, mas, por causa do tamanho reduzido e do baixo custo de fabricação dos SD Card, eles acabaram virando o padrão mais utilizado atualmente, afirmou Janor Junior, gerente de e-commerce da Superkit. Também existe o compact flash (CF), usado na maioria das câmeras fotográficas. Já os HDDs ou discos rígidos sem fio não são memórias flash, e sim discos de memória iguais à do computador, sendo portáteis. O que torna o HD mais atraente neste momento é o custo por GB que tende a ser 10 vezes inferior ao dispositivo flash. Outra vantagem é a capacidade: tecnologicamente os dispositivos flashes estão limitados neste momento a 64GB, enquanto que os HDs de computador já operam em terrabytes. Segundo especialistas da Kingston, os flash são muito mais rápidos. Os HDs operam em milissegundos enquanto que os flash em nanosegundos, o que aumenta sensivelmente a produtividade. São mais confiáveis, dissipam menos calor e economizam energia.

Capacidade de armazenamento - As diferenças fundamentais entre as memórias portáteis estão na capacidade de armazenamento e na velocidade de leitura de dados. Atualmente o micro e o mini SD podem chegar a armazenar até 4GB. O SD pode chegar a 16GB com velocidade de leitura de até 21MB por segundo. Já os cartões CF podem ter até 40MB por segundo de leitura e os mesmos 16GB de armazenamento. José Alberto, especialista da Kingston Brasil, recomenda que o usuário consulte o manual de seu aparelho para saber o correto padrão (CF, SD, MicroSD etc) a ser adotado. Já os HDDs, embora possam ser utilizados com a mesma finalidade dos pen drives, não são dispositivos de memória, mas sim unidades de disco rígido, em que as informações são gravadas em um disco magnético e não em um chip de memória como nos pen drives. Os HDDs vão além do transporte de informações devido a sua variedade de modelos, como por exemplo os com leitor de impressão digital, os HDDs de rede, os modelos com wireless. Existem, inclusive, HDDs com recursos profissionais que funcionam como servidores de rede, entregando dados a velocidades muitas vezes mais elevadas que muitos servidores de rede. Enquanto os pen drives armazenam de 1GB a 16GB, os HDDs externos vão de 120GB até 4TB. Segundo Julio Esteves, da Controle Net, os HDDs sem fio podem ser utilizados como memórias flash, mas são tecnologias diferentes. Os pen drives são chips de memória e os HDDs são discos rígidos magnéticos. 

Foto: Montagem O Globo Online

Recuperação de dados - A memória flash é diferente da memória RAM e das SRAM, já que permitem armazenar dados por longos períodos sem precisar de alimentação elétrica. Este é um dos motivos pelos quais a memória flash se tornou rapidamente a tecnologia dominante em cartões de memória, pen drives, memória de câmeras digitais, entre outros produtos, afirmou Eliane Silva, gerente de produtos da Sosecal. Mas a todos os usuários que possuem computadores, câmeras digitais e players MP3, os especialistas reforçam a necessidade de gerar cópias de segurança de seus dados, de tempos em tempos - os chamados backups. Gerar CDs e DVDs, além de cópias de drives externos, como HDDs sem fio, são formas de evitar transtornos no que se refere à perda de dados. Apesar de confiáveis, os semicondutores contidos dentro de pen drives ou de cartões de memória flash podem apresentar falhas - o que varia de fabricante para fabricante, de tecnologia para tecnologia. Existem empresas especializadas ou softwares que podem recuperar seus dados, porém a chance de sucesso é de 50%, ou seja, não há como garantir a recuperação incondicional dos dados salvos em pen drives e cartões de memória, lembra Jose Alberto, especialista da Kingston Brasil.

Segurança dos dados - Alguns destes acessórios portáteis já permitem aos usuários proteger suas informações a partir da adoção de senhas, de ferramentas de criptografia ou do uso da impressão digital. Pen drives são os portáteis mais comumente encontrados com estes recursos. Segundo Julio Esteves, gerente de marketing da Controle Net, os modelos de pen drives com leitor de impressão digital à venda no Brasil possuem a tecnologia Finger Print, da fabricante Transcend. Em geral, cada usuário pode cadastrar 10 impressões digitais, e até cinco pessoas podem se credenciar para usar o mesmo pen drive. Mas também são vendidos discos rígidos externos (HDDs) com leitores biométricos. "Assim, o acesso ao seu conteúdo só é permitido aos usuários cadastrados", reforça Julio Esteves. Outra recomendação dos especialistas é que o usuário atente para as portas USB às quais conecta seus acessórios. Na dúvida, dê preferência para conectar o pen drive ou HDDs nas portas USB traseiras, pois são soldadas à placa-mãe, já que as dianteiras podem não ter sido ligadas corretamente. Elaine Silva, gerente de produtos da Sosecal, lembra que existem discos rígidos portáteis (HDDs) que possuem modelos biométricos, com leitores de impressão digital, e aos quais o acesso só é permitido mediante comprovação. Os discos rígidos sem fio HDDs são muito seguros para o transporte e armazenagem de dados, defendem especialistas. Porém, ao contrário dos pen drives e cartões de memória, não pode sofrer quedas, principalmente quando está em operação, pois seus discos trabalham a uma velocidade de 5.400 ou 7.200 rotações por minuto e sua cabeça de leitura a cerca de 0,05 centímetros dos discos. Assim, uma queda realmente pode ser fatal, lembra Julio Esteves, da Controle Net. 

Velocidade - Existem dois tipos de memórias, uma MLC que possui velocidade de gravação de 3MB por segundo; e a SLC, que possui velocidade de gravação de 25MB por segundo, ou seja, mais que oito vezes mais rápida. A porta USB também opera em velocidades de leitura diferentes. Existe o padré 1.1 (velocidade de 1,5MBps). Caso esta porta esteja sendo utilizada, o acesso ao pen drive vai ser naturalmente mais lento, enquanto que em uma porta USB 2.0 a velocidade normal é de 60Mbps, afirmou Julio Esteves, gerente de marketing da Controle Net.

Fonte: O Globo Online


 + Matérias Relacionadas:

Genilton
Ferreira
Administrador do site
e Redator