Principal
   Notícias Gerais
   Esportes
   Informática
   Variedades
   Eventos
   Educação
   Guia Astral
   Agenda
   Cobertura de Eventos
   Nossa Cidade
   Mural de Recados
   Utilitários
   Contate-nos
   Concursos
 
 
 
 
 
 Login:
 Senha:
 
Intel demonstra chip de 80 núcleos
25/06/07 às 09:41 h


Companhia mostra pesquisas em computação em escala tera, dispositivos móveis e eficiência energética

A Intel reuniu jornalistas e analistas de mercado em sua sede, em Santa Clara, Califórnia (Estados Unidos), para demonstrar suas iniciativas mais avançadas em pesquisa & desenvolvimento.

O processador de 80 núcleos, com 13 mm por 22 mm, equivale a um supercomputador teraflop que há 10 anos ocuparia uma sala de 12 m por 3 m, explica Paolo Aseron, engenheiro de hardware do laboratório de microprocessadores da Intel em Hillsboro, Oregon. O produto ainda é uma prova de conceito, com lançamento previsto para 2009 ou 2010.

Construído com um processador de 65 nanômetros, cada núcleo possui 5 Kbytes de cache e duas unidades de pontos flutuantes. Comparado aos atuais processadores de quatro núcleos da Intel, o protótipo tem 40 vezes seu poder de processamento.

Programação em escala tera

A "computação de escala tera", como a denomina a Intel, é o futuro de seus chips e plataformas. A companhia possui atualmente mais de 100 projetos de pesquisa & desenvolvimento em todo o mundo, dedicados a solucionar os desafios em hardware e software associados com os sistemas que serão baseados em processadores com dúzias de núcleos.

Para ajudar desenvolvedores de software a lidar com sistemas em escala tera, a Intel desenvolveu um modelo de programação chamado Ct, que expande as linguagens de programação C e C++. Em essência, o modelo lida com a complexidade da paralelização, que é a disseminação da carga de trabalho de uma tarefa entre os múltiplos processadores para produzir resultados mais rápidos.

A Ct torna possível aos desenvolvedores programar como se estivessem escrevendo aplicações para um núcleo, explica Mohan Rajagopalan, cientista pesquisador do laboratório de Santa Clara da Intel. Os códigos são otimizados por múltiplos núcleos quando são compilados e durante o tempo de execução.

A Intel planeja lançar uma prévia da Ct para a comunidade de código aberto em um futuro próximo, segundo Rajagopalan. "Estamos trabalhando nos aspectos legais para o projeto completo em código aberto".

Eficiência energética

Com a computação em escala tera, vem a necessidade de eficiência energética. Por algum tempo, a Intel desenvolveu chips que são mais poderosos, mas consumem a mesma quantidade de energia que as versões anteriores.

Para continuar esta tendência na computação em escala tera, a Intel desenvolveu "circuitos adaptáveis" dentro de um processador que determina a quantidade mínima de desempenho requerida para uma tarefa. "Temos um cérebro em um chip", diz Bryan Casper, engenheiro do laboratório de Pesquisa em Circuito. Toda a energia associada à tarefa é adequada ao nível "suficiente".

Mobilidade

Fora da supercomputação, a Intel também está procurando maior eficiência energética em dispositivos móveis, a fim de aumentar o tempo de vida das baterias, mais especificamente na área de comunicações wireless.

Os pesquisadores mostraram um protótipo de um cartão Wi-fi com firmware (memória que mantém seu conteúdo sem energia elétrica) que desliga automaticamente quando o cartão não está em uso. A tecnologia também sabe quando ligar a energia para receber ou transmitir pacotes de dados. Tais cartões usam de 50% a 70% menos emergia do que os cartões wireless atuais.

Fonte: ITWeb


 + Matérias Relacionadas:

Genilton
Ferreira
Administrador do site
e Redator