Principal
   Notícias Gerais
   Esportes
   Informática
   Variedades
   Eventos
   Educação
   Guia Astral
   Agenda
   Cobertura de Eventos
   Nossa Cidade
   Mural de Recados
   Utilitários
   Contate-nos
   Concursos
 
 
 
 
 
 Login:
 Senha:
 
ELEIÇÕES MUNICIPAIS: OS GRITOS DA DEMOCRACIA
02/05/08 às 08:28 h


aninham@itabaianase.com.br

ELEIÇÕES MUNICIPAIS: OS GRITOS DA DEMOCRACIA – Por João Everton

O ano de 2008 nasceu sob os olhares das eleições municipais que se realizarão em 5 de outubro, dia em que nossa Constituição Cidadã completará 20 anos. A nossa democracia é recente. Já vivemos momentos piores na história brasileira. Além da escravidão, vivemos momentos de chumbo durante a Ditadura Militar. Foram épocas em que nos envergonham. Primeiro é o de saber que já colocamos outros seres humanos presos em condição de escravos. E todos viam com naturalidade. Como ainda hoje. Tem gente que bate no peito e diz que no Brasil não há racismo. Segundo que qualquer manifestação ou  reunião de pessoas, eram vistos como baderna ou atentado ao poder do Estado.

É sob tudo isso e algo mais que se celebrará, mais uma vez a democracia. (Aos descontentes com a política municipal, estadual e nacional. Enfim, para os leitores e leitoras, desta coluna Convite ao Pensar.). O termo democracia não é o mesmo ao longo da história da humanidade. A democracia deve ser vista como um processo dinâmico e de permanente aperfeiçoamento. A democracia, portanto, ela é ativada e reativada através das eleições: municipal, estadual e nacional.

O QUE DEVO FAZER PARA MELHORAR A DEMOCRACIA?

Somos convidados para escolhermos bem os candidatos. Tudo tem a sua origem. Para tanto, candidato, vem do latim e siginifica, candidus-alvo, branco, candidato é quem, para a representação, detém probidade, numa palavra a representação pressupõe honestidade dos candidatos vão nos governar. Não é simples? Nem tanto assim.

Na verdade quem tem o poder na mão é o próprio povo. O povo tem o mesmo poder da sociedade. Daí algumas maldades para com o povo: o povo tem o representante que merece. Porém, o povo exerce o poder pela representação e pela participação, sistema inaugurado na modernidade. Robespierre, já dizia: “O povo tem força com sua participação”, ora, a representação é que dá sentido, força e rumos à vontade popular. Na lógica do poder, e poder não se iguala à justiça e ao direito, que, aliás, o poder é submetido ao direito e ao controle da sociedade. Portanto, viva o povo!!! Quem controla os maus políticos e os bons políticos?

 

 


 + Matérias Relacionadas:

Aninha
Mendonça
Repórter e
Redatora